Contraprova confirma metabólito da coca em exame de Guerrero

A defesa de Guerrero também já recebeu o estudo analítico do exame, com detalhes do teste na urina.

Foto: David Mercado / Reuters


A contraprova do exame de Paolo Guerrero confirmou a presença da benzoilecgonina, um metabólito da coca e da cocaína, configurando o doping positivo para o estimulante. O bioquímico L. C. Cameron, que faz parte da equipe de defesa do jogador e é o coordenador do Laboratório de Bioquímica de Proteínas da UNIRIO, foi quem acompanhou a abertura da amostra B, na última quinta-feira, em Colônia, na Alemanha.

 

Essa análise só testa a substância analítica adversa que apareceu na amostra A. Guerrero fez o exame após o jogo do Peru contra a Argentina pelas Eliminatórias, em 5 de outubro.

 

A defesa do jogador também já recebeu o estudo analítico do exame, com detalhes do teste na urina, como as substâncias pesquisadas, documento que consta em seu processo na Fifa.

 

E segundo Bichara Neto, advogado do atleta, “a concentração de benzoilecgonina é muito baixa, compatível com a tese de contaminação cruzada”. Ele não quis informar o valor mas afirmou que esse foi o único metabólito da coca e cocaína encontrado na análise.

 

- Estamos otimistas com o resultado deste estudo porque mostra que estamos no caminho certo. Aguardamos agora a análise dos sachês com os chás que Guerrero tomou na concentração da seleção do Peru. Um laboratório no Brasil e outro no exterior estão com as amostas – afirmou Bichara, que trabalhará com a tese de que os chás tomados pelo jogador, durante o período em que esteve com a seleção do Peru, estavam contaminados.

 

O objetivo é provar que a substância foi ingerida sem a intenção e o conhecimento do jogador.

 

A punição inicial para casos de doping como esse é de quatro anos, segundo o código antidopagem da Agência Mundial Antidoping (Wada). Se comprovada a idoneidade do atleta, a pena cai para dois anos.

 

Guerrero aguardava ainda a definição sobre a anulação de sua suspensão preventiva de 30 dias para que pudesse atuar pelo Flamengo pela Sul-americana e pela seleção do Peru nas Eliminatórias. A Fifa, no entanto, decidiu manter a suspensão. Sua equipe ainda estuda se recorrerá ao Tribunal de Apelação da Fifa.

 

No dia 26, Guerrero e sua equipe de advogados terão de entregar à Fifa a defesa escrita. E o julgamento será no dia 30, em Zurique, na Suíça.